terça-feira, fevereiro 05, 2013

As técnicas "perdidas" de arremesso do Karate


Me deparei recentemente com um artigo que falava das técnicas perdidas do Karate. Muitos podem pensar que se trata de alguma mistério ensinado por mestres orientais de longas barbas brancas no topo de montanhas asiáticas a jovens e eleitos discípulos. Ou talvez golpes secretos e mirabolantes de video games, capazes de tornar os detentores dessas técnicas invencíveis, mas não se trata disso.


Muito do Karate original foi esquecido por muitos (a maioria) e hoje, sequer é ensinado. Em breve, não teremos muitas pessoas vivas que conheçam tais técnicas. Pelo menos não no Karate...

Como eu disse no artigo sobre o Ti'gwa e a origem do Karate, os Okinauanos eram muito mais ecléticos no que diz respeito às disciplinas que praticavam. O Uchinadi era composto de Kata, Torite, Ti'gwa e Tegumi. E é nesse último que vamos focar hoje.

Quando era praticado por karate-ka altamente treinados, no entanto, o Tegumi apresentava uma vantagem fundamental que os esportes de luta agarrada hoje não dispõe. O kuzushi-waza, ou seja, um golpe traumático (atemi) que incapacita momentaneamente o adversário ou faz uso do reflexo condicionado de retrair mediante uma pancada iminente para desequilibrá-lo e efetuar a queda. Ainda praticado hoje em dia, o Tegumi tornou-se um esporte tradicional em Okinawa.


Esse é, eu imagino, o motivo pelo qual o Sensei Funakoshi conseguiu ser tão bem sucedido no esporte nativo de Okinawa.
Podemos ver aqui, o grande Enoeda Sensei e o nosso amigo Lyoto Machida executando o mesmo kuzushi waza para derrubar um adversário. Nesse caso, um gyaku-zuki.



Felizmente, graças ao advento da escrita, podemos aprender, com o Sensei Funakoshi em pessoa, nove desses arremessos que, por achar que eram relevantes e significativos, os apresentou em seu livro Karate-Do Kyohan (primeiramente publicado com o título Ryukyu Kenpo Toudi e como Rentan Goshin Toudi Jutsu).






Depois dessa introdução, eu vos apresento "Nove arremessos de Funakoshi Gichin: técnicas de queda esquecidas do Karate".
São elas:

#1. Byobu Daoshi: "Derrubando uma tela"



Como demonstra pessoalmente no livro, a primeira técnica apresentada significa dobrar ou derrubar uma tela Byobu usada para dividir cômodos ou espaços privados. Daoshi ou Taoshi é derrubar ou tombar.

Aqui, Funakoshi sensei deflete um Jodan Zuki, usa o hikite para puxar o braço do atacante enquanto ataca o queixo ou a garganta com a mão livre.

Avança, então, com a perna por detrás da do atacante (similarmente ao Osotogari do Judo) derrubando-o.


Simples e brutal, como o Karate deve ser.



#2. Koma Nage: ‘Girando o Topo’



Nessa queda, Funakoshi Sensei mescla um movimento popular do Tekki com o princípio ju-no-ri comum no Aikido, Judo e Jujutsu (e, claro, no Karate de alto nível).


À medida que seu oponente avança em chudan-zuki, recue e bloqueie com otoshi-uke pelo lado de fora. Agarre imediatamente o seu pulso e puxe forte para baixo em direção ao seu quadril enquanto avança com a perna por detrás da do seu oponente, colocando sua mão livre no cotovelo dele fazendo uma alavanca e girando-o sem esforço em direção ao chão.

A chave para fazer koma-nage corretamente é utilizar a inércia do oponente, executando toda a queda em um único movimento fluido e suave. Pense "Aikido".

#3. Kubi Wa: ‘Enlaçando o Pescoço’

Essa queda começa de maneira similar às outras duas. Quando seu oponente avança com jodan-zuki esquive lateralmente como na segunda queda, bloqueando alto com a mão da frente.

Avance rapidamente em yori-ashi por fora do braço que golpeia, atingindo-o no queixo com teisho-uchi e então, enquanto o oponente se retrai em reflexo, avance rápido com fumikomi por detrás da perna dianteira dele e circule o seu pescoço com o braço da frente enlaçando-o e apertando enquanto o traz para baixo, ao mesmo tempo em que empurra com a mão livre a lombar do oponente para aumentar a efetividade.

#4. Katawa Guruma: ‘Cadeira de Rodas’

O katawa guruma ou "cadeira de rodas" (versões similares são conhecidas internacionalmente como "fireman's carry") é um movimento popular em várias tradições marciais que usam quedas, tais como Judo, Luta Greco-Romana, Shuai Jiao, etc...

Nesse caso, comece como na segunda queda (Koma Nage) deslizando pelo lado de fora ao bloquear a tentativa de ataque ao seu plexo solar. Force para frente e esprema o braço do atacante entre seu corpo e o dele, enquanto desliza o braço que bloqueou para cima e agarre a nuca do agressor (é nesse ponto que a foto começa a fazer sentido).

Agora, com a mão livre, alcanse os testículos ou simplesmente agarre a parte interna da coxa, levantando-o tanto quanto possível enquanto puxa o pescoço para baixo rumo a suas costas.

#5. Tsubame Gaeshi: ‘Reverso da Andorinha’


Funakoshi Sensei era conhecido pela sua veia poética quando nomeava suas técnicas e seus kata.
Para executar tsubame gaeshi recue e bloqueie com juji-uke o jodan-zuki e agarre imediatamente o braço por dentro e golpeie com ura-ken.
Então (eis a parte difícil), avance rumo ao oponente de forma circular enquanto se ajoelha e, assim, impulsiona o agressor rumo ao solo ao torcer seu braço e puxar o braço (hikite).

#6. Yari Dama: ‘Atravessando a Lança’

Em mais uma queda que põe em teste a resistência testicular do oponente, defenda com jodan shuto-uke como na primeira queda.
Como sempre, proceda em agarrar o punho que ataca com sua mão que bloqueia e avance com um largo passo em shiko-dachi e amasse com a mão aberta os testículos do atacante, aproveitando o reflexo de retrair a pélvis e finalize a queda empurrando para frente o braço esquerdo enquanto levanta com força o braço por baixo do quadril dele.

#7. Tani Otoshi: ‘Derrubando de um Vale’

Apesar de tani-otoshi ser um golpe comum em competições de Judo até hoje, essa versão de Funakoshi Sensei parece mais um Seoi-nage, apesar da base mais ampla, do que qualquer outra coisa.
Enquanto seu oponente se projeta para frente com jodan-zuki, recue com a perna direita e desvie o golpe com a mão da frente, agarrando instantaneamente o braço que ataca e puxando-o para o seu lado (o verdadeiro significado de hikite) enquanto executa um ataque no ponto vulnerável de seu oponente. 

Assim que ele se retrai em reflexo (se você ainda não percebeu, o propósito desses inúmeros ataques disruptivos, ou kuzushi-waza é se valer do reflexo natural do seu oponente se retrair mediante uma pancada em locais específicos para preparar a queda. Kuzushi = preparação), avance um passo e envolva o braço esticado do agressor com seu braço de ataque, gire com o quadril por baixo do dele e arremesse-o por cima de seu ombro rumo ao solo finalizando-o em seguida como sugere a foto.

#8. Ude Wa: ‘Enlaçando com os braços’

Para demonstrar que essas quedas também funcionam contra ataques outros que não o choku-zuki, Funakoshi Sensei demonstra contra tentativa dupla de enforcamento ou de agarrar as lapelas.
À medida que ele se aproxima com os braços estendidos, desvie-os para cima e afunde imediatamente com chudan morote tettsui (eu recomendo mirar na parte cartilaginosa das costelas flutuantes para maximizar o dano e a dor). 

Assim que ele se retrai com a dor e sem ar, mergulhe e abrace as pernas enquanto empurra o quadril com seu ombro, puxando as pernas para trás e do lado oposto do ombro, derrubando assim, o agressor no chão.
Quando praticar isso no dojo, assegure-se que seu companheiro de treino saiba ukemi, ou seja, saiba cair apropriadamente, ou ferimentos sérios na coluna e pescoço podem ocorrer!

#9. Gyaku Tsuchi: ‘Marreta Invertida’

Por fim, a "marreta Invertida" ou, como os wrestlers chamam hoje em dia, O "bate-estacas" (piledriver).
Quando atacado com jodan-zuki, defenda age-uke com o lado invertido (vide foto) deslizando por debaixo da axila do atacante e aproveite-se do desequilíbrio causado pelo age-uke invertido.
Empurre a coluna dele com o braço que defendeu e, com o outro braço, desliza para seu ventre. Gire-o de cabeça para baixo e finalize-o batendo com toda força a cabeça dele no solo.
Não preciso dizer que NADA DISSO pode ser tentado por pessoas despreparadas e sem a presença de um professor competente!
________
Aqui estão!

Nove quedas clássicas (ainda que não ortodoxas para os padrões atuais) do Karate que você provavelmente nunca teve oportunidade de treinar... até hoje!

Tenho certeza que há muito mais, mas ele achou por bem demonstrar essas. Talvez fossem suas preferidas...

De qualquer forma, ao praticar os kata pode-se vislumbrar inúmeras oportunidades de usar quedas como essas e, uma vez que colocamos nossa mente para pensar voltado à isso, uma enorme gama de possibilidades se nos apresentam.
Presente do próprio Funakoshi Sensei para todos nós!
OSS!

11 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Mais um ótimo artigo deste blog. Devemos sempre lembrar que o karatê é ou pelo menos era um sistema completa de defesa pessoal, neste sistema haviam técnicas de nage-waza (projeção) te-waza (técnicas de mão) e até mesmo kansetsu-waza (técnicas de imobilizações e torções). No entanto, em nome da prática esportiva, todas essas técnicas foram esquecidas e por muitas vezes abandonadas. Acho muito importante esse retorno destas técnicas "perdidas" ao karatê, quem sabe desta maneira nossa arte marcial comece a ser vista novamente como uma arte de defesa pessoal e não só um esporte. OSU.

    ResponderExcluir
  3. Fantástico trablaho de pesquisa da nossa arte marcial. É através de matérias como essa que podemos aprender a real essência do karate Shotokan, que vai muito além de competições. OSS!

    ResponderExcluir
  4. Acho que tudo faz parte de um todo, inclusive as competições. Eu fui atleta, você ainda é e todos os grandes Karate-ka que conheci foram, em algum ponto de suas vidas grandes atletas.

    Só que se provaram muito mais do que isso e nós devemos ao legado deles e do Karate, também nos tornar mais do que atletas.

    A competição passa, os troféus viram depósito de poeira e o Karate continua!

    Agora vamos treinar as quedas!!!

    OSS!

    ResponderExcluir
  5. Muito bom o artigo, e ainda tem karate-ka que falam que não existem quedas no karate, está ai a prova, nunca leram Funakoshi.
    Oss

    ResponderExcluir
  6. Artigo excelente e enriquecedor. O Karatê genuíno que preza pela sua completude não pode morrer.
    Parabéns pelo compartilhamento de conhecimentos.
    Osss...

    ResponderExcluir
  7. Conteúdo histórico e essencial para contribuição a nossa arte, mutiplicaivos!

    ResponderExcluir
  8. Sensacional Marquinhos.
    Minha opinião é que as técnicas de projeção acabam sendo abandonadas por conta da dificuldade de se suportar aos treinamentos após uma certa idade. Mas, como necessárias no Karate arte Marcial é indiscutível.
    Parabéns pela matéria.
    OSS

    ResponderExcluir
  9. As a student and teacher of Ryukyu Kempo Karate for over 30 years and a martial artist for over 50 years, I have researched many styles of Karate, Jujutsu, Aiki-jujutsu and Kobudo. The "Te" techniques of Ryukyu (Okinawan) Karate are usually the hidden techniques of the sytle. These techniques are given to the inner circle of students. Once you have studied and proven yourself loyal to the master, you begin the real training. Most of the real training begins at the Godan level. It was said that each kata took 10 years to learn. This isn't just practicing the movement and steps of the form, but learning what each movement means in real selfdefense. There are obvious techniques and also hidden techniques, there are locks, throws and nerve strikes. Age has no bearing on the technique (as the above has written) You probably have seen masters in their 90's years of age fighting much younger karateka. The true technique is what makes the difference. My teacher (Oyata Sensei) was a master of Tuite and Kyusho techniques of Ryukyu Kempo Karate. If you fought him, it was like sticking your hand in a meat grinder. Every block he did was a nerve or pressure point strike / block. My research given to those of interest for free. If you have an interest, you can contact me at: dhayek@ryukyukarate.org

    ResponderExcluir
  10. Parabéns pelo artigo, ainda bem que não esqueci e continuo transmitindo tecnicas de arremesso e progeção no karate.....osi

    ResponderExcluir

Dream Team

Dream Team
Equipe do Rio de Janeiro. Da esquerda para a direita: Inoki, Fernando Athayde, Ronaldo Carlos, Hugo Arrigone, Paulão, Zeca Kriptanilha, Luciano e Flavio Costa. Falta nessa foto apenas o grande Victor Hugo Blanco Bittencourt..